Última Actualização - 15/12/2013









VISITE O MEU NOVO SITE EM:

» Fotos do 58º Campeonato Mundial de Ornitologia

No sábado (23-01-2010) lá fui eu até á Exponor visitar o 58º Campeonato do Mundo de Ornitologia.
Adorei o evento e as aves que estavam em exposição, principalmente os psitacídeos.
Em meu nome quero felicitar todos os concorrentes Portugueses medalhados assim como agradecer a todos aqueles que contribuíram para tornar este Campeonato possível.
Deixo algumas fotos para a prosperidade, espero que gostem.

» 58º Campeonato Mundial de Ornitologia

Para todos os amantes e criadores de aves, está quase a chegar um evento único, o 58º Campeonato Mundial de Ornitologia a realizar na exponor nos dias 21 a 24 de Janeiro de 2010.
Toda a informação em http://www.mundial2010.fonp.pt

NÃO FALTE!!!
__________________________________________________________________

» Partido Pelos Animais.

__________________________________________________________________

2 anos on-line !!!

"A grandiosidade de uma nação e o seu progresso moral podem ser julgados pelo modo como ela trata os seus animais" - Mahatma Gandhi

__________________________________________________________________

Está quase, quase a chegar... Em breve haverá noticias.


Já chegou, veja as fotos e videos em baixo. (actualizado 30-08-2009)

» MASTERCLASS - Eu Fui !!!

Tive o privilégio de conhecer e aprender pessoalmente com quem mais entende de Agapornis, o senhor Dirk Van den Abeele.
Uma pessoa simpática, humilde, bem disposta e muito conhecedor de Agapornis, mutações e genética.
Venha o próximo evento desta natureza,estarei lá...

» 1º MASTERCLASS da Espécie Agapornis:

È com enorme prazer e orgulho que informo a todos os "Amantes"e admiradores destas maravilhosas aves que nos dias 18 e 19 de Abril de 2009 se realizará em Vila Nova de Gaia-Porto-Portugal, O Primeiro Masterclass sobre especies de Agapornis. Este evento será organizado pelo Coconiki centro de criação de psitacideos e terá como convidado especial o senhor Dirk Van den Abeele, Presidente da BVA Agapornis clube da Bélgica e membro da MUTAVI.

Tenciona Assistir ao 1º Masterclass sobre Agapornis ?

PARABÉNS, DARWIN!

PARABÉNS, DARWIN!
1809-2009

Campeonato Mundial de Ornitologia 2010 em Portugal:

"Por uma Ornitologia unida e existência de uma só federação nacional, assine esta petição" :

[ ASSINAR a PETIÇÃO ]

"Liberem a Criação de Aves Autóctones":

(Abaixo-assinado: Criar Legalmente Aves da Fauna Europeia)

A Exposição 2008 do CIOM :

A Grande Bíblia dos Agapornis.

A Grande Bíblia dos Agapornis.
Foi-me oferecido neste Natal. Valioso manual sobre Agapornis do senhor Dirk Van den Abeele.

AGAPORNIS - Considerações Gerais.

História:

Todos os agapornis são oriundos do continente africano, com excepção de uma das espécies, a cana, que vem da ilha de Madagáscar. As aves vivem numa vasta região na costa ocidental da África do Sul, chegando a aparecer até na Namíbia, entre vegetações de pequenos arvoredos abertos e secos, e em alguns casos podem ser vistos em montanhas com até 1600 metros. Segundo alguns pesquisadores e autores literários, o agapornis foi descoberto no ano de 1793, no entanto, só em meados de 1860, Hangenbeck trouxe para a Europa algumas aves de cor selvagem verde. Daí em diante, o agapornis passou a ser um dos periquitos mais conhecidos do mundo. A palavra agapornis tem origem no grego e significa "pássaro do amor", pois segundo uma lenda, estes pássaros formam casais inseparáveis e na morte de um deles, o outro não se acasala mais. Na realidade, a criação destes pássaros demonstra-nos que isto não passa de uma lenda, já que vários casais podem ser trocados sem problemas, muitas vezes com o objectivo de melhorar o padrão de cores ou o porte desta ave.


Espécies:


Agapornis significa em grego "pássaro do amor" - agape = amor; ornis = pássaro.

Os Agapornis dividem-se em nove espécies, sendo os mais comuns:
  • Roseicollis,
  • Personata,
  • Fischer;
E os mais raros:
  • Cana,
  • Taranta,
  • Lilianae,
  • Nigrigenis,
  • Pullaria,
  • Swinderniana.

Temperamento:


De maneira geral, os agapornis vivem bem em conjunto, com algumas lutas ocasionais, mas que nunca chega a ser nada mais sério. Podem ser criadas com outras espécies de periquitos, mas não convém juntar com aves mais pequenas ou mais frágeis. Pode criar tranquilamente duas aves numa gaiola, mas nunca deve juntar uma ave inadvertidamente em uma gaiola que já tenha outro animal instalado, já que a nova ave poderá ser vista como um ser estranho e vai ser tratada como tal pelo agapornis já existente na gaiola. Para evitar tal situação, o melhor a fazer é colocar as aves em gaiolas diferentes durante algum tempo, aproximando as gaiolas o maior tempo possível, para acostumá-las uma com a outras

São aves enérgicas e activas, que utilizam quase todo o espaço que tem disponível. Os agapornis que se encontram em gaiola gostam de estar entretidos, e para isto existem brinquedos que podem ser adquiridos em qualquer loja de animais. A única condição é que os “brinquedos”, têm que ser suficientemente resistente para aguentar o forte bico desta ave.


Descrição:


O agapornis tem tamanho variado, dependendo da espécie, mas pode variar entre os 14 e os 16 centímetros, e vive entre os 10 e os 15 anos. Entre as espécies conhecidas, estão a roseicollis, nigrigenis, taranta, personata, cana, swinderniana, lilianae, fischeri, e pullaria. A única espécie que não é criada pelo homem é a agapornis swinderniana, que não se adapta em cativeiro.

A distinção entre machos e fêmeas não é muito fácil. Os criadores mais experientes podem conseguir distinguí-los de acordo com os ossos pélvicos, que são mais afastados nas fêmeas, mas este método tem uma eficácia de apenas 30%. E em alguns casos, a fêmea pode ser maior do que o macho, mas não necessariamente. Os agapornis são geralmente muito ruidosos e geralmente conseguem chamar a atenção de todos que estão à sua volta, apesar de não serem animais falantes como os papagaios, entretanto, podem balbuciar alguns sons humanos e palavras curtas. A fidelidade entre machos e fêmeas pode ser bem observado na espécie cana, que imita o comportamento um do outro o tempo todo.

Um factor comum nesta espécie são as mutações, que são tantas, que torna-se difícil descobrir uma ave com a plumagem original. Há mais de 40 tipos de cores diferentes reconhecidas.


Alojamento:


Estas aves podem ser tanto aves de gaiola, como tem sido mais vistas recentemente, ou em aviário em recinto fechado, ou até mesmo ao ar livre. De qualquer modo, a gaiola ou aviário devem ser feitos de um material resistente às bicadas das aves, que são potentes. Não é recomendado que coloque plantas ou outras coisas do género, já que os agapornis podem destruí-la rapidamente. Os agapornis gostam muito de voar e de fazer acrobacias, por isso, talvez a melhor alternativa seja uma gaiola mais alta do que larga. Não necessitam de qualquer aquecimento, mas se estão localizadas num ambiente externo, convém protegê-las da geada, e ter uma espécie de caixa ou abrigo para as noites mais frias.


Alimentação:


Quanto à alimentação, os agapornis devem ser alimentados com boas misturas para periquitos, que pode ser completada com quantidades pequenas de frutas, ervas, bagas silvestres, milho painço e alimentos verdes. É importante que durante a gestação, as fêmeas sejam alimentadas com alimentos à base de ovos, ou suplementos. Sempre que possível dever ter à disposição da ave, uma mistura de arenito.


Higiene:


Os agapornis gostam do banho, de maneira que as aves criadas em ambiente fechado devem poder tomar banho com facilidade regularmente, mesmo nos meses de Inverno, e, caso não o possam fazer, devem ser borrifadas com um borrifador de plantas com um jacto bem leve. O cuidado com o banho deve ser mantido principalmente nos meses de Verão.


Reprodução:


São muito fáceis de criar, mas o acasalamento pode ser mais difícil, pela semelhança entre o macho e a fêmea desta espécie. Só é aconselhável fazer uma criação após o primeiro ano de vida das aves. Os agapornis constróem seu ninho com galhos ou qualquer outro tipo de material seco que são destruídos com o seu, já tão falado, forte bico. As fêmeas podem por entre três a cinco ovos, que chocam por cerca de 20 dias, aproximadamente. As crias só começam a apresentar plumagem após um mês e meio após saírem dos ovos. Os agapornis podem ter várias gestações por ano, mas deve ser evitado mais do que duas gestações no mesmo ano, para isto deve retirar a caixa de ninho.

Algumas vezes, após o nascimento das crias, os progenitores podem apresentar um comportamento mais agressivo, sendo apropriado retirar as crias quando isso ocorrer e a situação o permita. Quando se tornam independentes, há uma grande probabilidade das crias serem rejeitadas pelos progenitores, e neste caso, também devem ser separados, assim que possível.

retirado de "arca de noé,vivapets".




Agapornis roseicollis criados á mão:

Apesar de ainda haver a ideia de que " grande é que é bom ", alguns pequenos psitacideos podem ser excelentes animais de estimação. É o caso dos Agapórnis roseicollis. Não exigem nem o espaço nem o investimento que os grandes psitacideos exigem, mas podem igualmente proporcionar-nos bons momentos.
Estas aves quando criadas à mão, ficam muito dóceis e interactivas. O seu comportamento em nada se assemelha com o de uma ave criada pelos próprios pais.

Visto que no início as pequenas aves têm que ser alimentadas 3 ou 4 vezes por dia, é um pouco cansativo e consumidor de tempo. No entanto, é gratificante ver o resultado final.

Antes de decidir em ter uma destas aves como animal de estimação, pense muito bem se tem tempo para lhe dar a atenção que ela lhe vai exigir. Caso ache que sim, Força.
São óptimos Companheiros. Ganha um bom Amigo.



Fófis alimentando os filhotes.

Joca - Praticando recall indoor

Joca - O meu Amiguinho tomando banho.

Os quatro pitufos.






Estes são os últimos quatro pequenotes que criei á mão.
Ficaram aves extremamente dóceis e brincalhonas.
Um verdadeiro encanto!!!

2 comentários:

Danilo disse...

Oi tubem bem sou brasileiro e ja criei uma vez um agapornis a mão, comecei a criar a mão mais dois agora um tem 12 dias e o outro 10 porque os pais não estavam a alimenta-lo, se puder gostaria de manter contato com você para possíveis esclarecimentos e duvidas, desde ja agradeço a atenção. O meu e-mail é dansuque@hotmail.com também e o meu msn, se puder agradecerei bastante amigo!

Joana disse...

ola, tenho 2s roseicollis, um macho e uma femea, tenho umas duvidas ja percebi que estão na fase de acasalamento, n sei é identificar quando a femea estara na gestação,por isso nao sei quando lhe dar outra alimentacao :S
a alguma maneira de saber?????